Marketing Hospitalar: 5 exemplos éticos e eficientes para a publicidade

Marketing hospitalar

O marketing hospitalar desempenha um papel fundamental na comunicação e no relacionamento entre instituições de saúde e seu público-alvo – eles são cruciais para promover serviços de saúde e educar o público sobre opções de tratamento. No entanto, ao promover serviços de saúde, é essencial que as estratégias de marketing sejam éticas e transparentes, priorizando o bem-estar dos pacientes e a credibilidade da instituição. 

Neste artigo, vamos explorar  a importância das considerações éticas no marketing hospitalar, destacar exemplos de campanhas que conseguiram aliar eficiência e ética e abordar a mensuração de resultados do marketing hospitalar. Vem saber mais!

A Importância das considerações éticas

Saúde é um tema sensível e precisa ser abordado com o máximo de transparência, ética e respeito – só assim é possível construir e manter a confiança dos pacientes e da comunidade

Um marketing hospitalar ético se concentra em fornecer informações precisas, relevantes e úteis para o público, promovendo a educação em saúde e destacando os benefícios dos serviços oferecidos de forma honesta e transparente.

Confira 5 estratégias práticas nas quais investir para ter sucesso.

5 exemplos de Marketing Hospitalar

  1. Campanhas de conscientização: Hospitais e clínicas frequentemente lançam campanhas de conscientização sobre questões de saúde pública, como prevenção de doenças, hábitos saudáveis e exames de rotina. Essas campanhas educativas fornecem informações valiosas para o público, incentivando a adoção de comportamentos saudáveis e a busca por cuidados médicos preventivos;
  2. Depoimentos e histórias de pacientes: Com o consentimento adequado, as instituições de saúde podem compartilhar testemunhos e histórias de pacientes reais para ilustrar os benefícios dos tratamentos e serviços oferecidos. Essas narrativas autênticas e emocionais ajudam a inspirar confiança e empatia entre os pacientes em potencial. Segundo o Conselho Federal de Medicina, a única observação é a de que o depoimento seja sóbrio, sem adjetivos que denotem superioridade ou induzam à promessa de resultados;
  3. Campanhas de promoção de serviços: Ao promover serviços específicos, como programas de tratamento, exames médicos ou instalações de última geração, as instituições de saúde devem fazê-lo de maneira informativa e não enganosa. Destacar os benefícios e diferenciais dos serviços, sem exagerar ou criar expectativas irreais, é o direcionamento mais assertivo;
  4. Tenha “embaixadores” profissionais: É recomendável usar a experiência da equipe médica para criar e compartilhar conteúdo educacional sobre saúde em blogs, vídeos e redes sociais. Isso inclui abordar preocupações comuns, fornecer dicas de cuidados preventivos e orientações sobre o manejo de condições específicas. Isso não apenas promove a organização, mas também constrói credibilidade;
  5. Gamificação: A gamificação é uma estratégia de marketing que aplica elementos de jogos em contextos não relacionados a jogos. Nesse sentido, ele pode motivar os pacientes a se engajarem ativamente em sua jornada de saúde, criando associações positivas com sua marca. Por exemplo, um aplicativo móvel criado para que os pacientes acompanhem seus objetivos de bem-estar, ganhem pontos e compitam entre si. A Johnson & Johnson desenvolveu o aplicativo de fitness “7-Minute Workout“, que inclui recursos como rastreamento de progresso, conquistas e desafios personalizados para os usuários, incentivando seu uso e reforçando o compromisso da empresa com a saúde e o bem-estar.

Mensuração de resultados do Marketing Hospitalar

Depois de entender qual estratégia faz sentido para o seu público e o seu negócio, é essencial estipular como será feita a mensuração de resultados.

Ao avaliar o desempenho das campanhas, as instituições de saúde são capazes de entender melhor o impacto de suas estratégias de marketing e fazer ajustes conforme necessário. As métricas mais comuns são::

  1. Taxa de Conversão: Avalia quantos pacientes potenciais se tornaram pacientes reais após entrar em contato com uma campanha de marketing;
  2. Engajamento online: Monitora o envolvimento do público com o conteúdo online, como visualizações de página, interações em redes sociais e taxas de cliques. é também uma métrica de vaidade, mas oferece insights interessantes;
  3. Feedback do paciente: Coleta feedback direto dos pacientes sobre sua experiência com o marketing hospitalar, incluindo percepções sobre precisão, relevância e impacto. Você pode utilizar o Net Promoter Score (NPS), uma metodologia de satisfação de clientes desenvolvida para avaliar o grau de fidelidade dos clientes de qualquer perfil de empresa.

Ao analisar essas métricas e ouvir atentamente o feedback dos pacientes, a sua organização tem as ferramentas necessárias para entender o que funciona dentro do seu mercado, focando sempre no melhor para o paciente.

O marketing hospitalar ético e eficiente é fundamental para construir relacionamentos positivos com os pacientes e promover a saúde de forma mais global e inclusiva. Com abordagens transparentes, informativas e centradas no paciente, as instituições de saúde podem alcançar seus objetivos de marketing enquanto mantêm a integridade e a confiança do público.
Veja mais conteúdos sobre o tema no nosso blog!

Últimas Notícias